Cuiabá, 17 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,48
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Política e Eleições Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2024, 11:15 - A | A

21 de Fevereiro de 2024, 11h:15 A- A+

Política e Eleições / ACUSAÇÃO DE HOMOFOBIA

Vereadora Edna Sampaio tem R$ 11 mil bloqueados da Justiça para pagar indenização a deputado Cattani

sentença determinando a extinção do processo e o pagamento da indenização foi publicada após última audiência do processo, no dia 7 de fevereiro de 2024

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

Condenada desde 2021 por fazer falsa acusação de crime de homofobia, a vereadora de Cuiabá Edna Sampaio (PT) teve suas contas bancárias bloqueadas pela Justiça para o pagamento de uma indenização, que chega ao valor de quase R$ 11 mil ao deputado estadual Gilberto Cattani (PL). 

A sentença determinando a extinção do processo e o pagamento da indenização foi publicada após última audiência do processo, no dia 7 de fevereiro de 2024.

Em 2021, a vereadora petista usou suas redes sociais para fazer falsas acusações de crime de homofobia contra Cattani, que a processou pelos crimes de calúnia, injúria e difamação. 

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

No mesmo ano, a vereadora foi obrigada a apagar as publicações e condenada a pagar o valor de R$ 3 mil e mesmo com todos os recursos negados, optou por não realizar o pagamento da indenização, que com as correções chega hoje ao valor de R$ 10.770,69. 

No mês de setembro de 2023, a Justiça bloqueou o valor de R$ 17.452,16 de duas contas da vereadora para garantir que o pagamento da indenização fosse garantido. O valor da reparação deve ser transferido para Cattani nos próximos dias.

“Como Advogado, estou satisfeito com o resultado que o Poder Judiciário concedeu. A defesa da liberdade de falar não isenta a responsabilidade pelos excessos. Ninguém, senão um Magistrado, pode julgar e condenar no âmbito de um processo. Todos, inclusive os parlamentares, devem saber. Permanecemos firmes na defesa da Democracia, dentro das quatro linhas da Constituição”, disse o advogado do deputado, Daniel Moura.

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation