Cuiabá, 24 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,59
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Política e Eleições Sexta-feira, 08 de Março de 2024, 14:30 - A | A

08 de Março de 2024, 14h:30 A- A+

Política e Eleições / MULHERES NO PODER

Governo Federal investe R$ 100 milhões na formação de meninas e mulheres em carreiras científicas

A ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luciana Santos, detalhou a iniciativa que busca tornar áreas de desenvolvimento científico menos desiguais

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O Governo Federal lançou nesta semana edital voltado para meninas e mulheres cientistas com investimento de R$ 100 milhões. A chamada pública “Meninas nas Ciências Exatas, Engenharias e Computação”, visa apoiar projetos que estimulem o ingresso, a formação e a permanência deste público nas carreiras científicas.

Em entrevista ao programa A Voz do Brasil, desta quinta-feira (07), a ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Luciana Santos, falou sobre a importância do estímulo para a busca por mais mulheres na ciência. “Nós estamos acompanhando algumas pesquisas que mostram que, desde a infância, existe uma certa indução de conceitos que as meninas acabam achando mais complexos e não se acham aptas. Então estamos fazendo um estímulo objetivo com bolsas de estudo específicas para mulheres, para a gente poder, na linha do tempo, superar esses indicadores que são muito desiguais”.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

A chamada pública já está aberta e tem como público-alvo estudantes do sexo feminino matriculadas no oitavo e no nono ano do Ensino Fundamental e no Ensino Médio em escolas públicas e em cursos de graduação nas áreas de Ciências Exatas, Engenharias e na Computação. As propostas poderão ser apresentadas até 29 de abril deste ano.

Os recursos vão atender projetos de todas as unidades da federação. Para reduzir as desigualdades regionais, a chamada prevê a destinação da parcela mínima de 30% dos recursos para projetos cuja instituição de execução esteja sediada nas regiões Norte, Nordeste ou Centro-Oeste.

O edital também prevê, como política de equidade de gênero e étnico-racial, que pelo menos 40% das bolsas de Iniciação Científica Júnior (ICJ) deverão ser destinadas a meninas negras e/ou indígenas. Os projetos selecionados receberão recursos para custeio, além de bolsas para estudantes do ensino médio, de graduação e para professores participantes por um período de 36 meses.

“A gente quer colocar as mulheres aonde elas quiserem estar, e, principalmente nas áreas mais dinâmicas, nas áreas de ponta, mais complexas do desenvolvimento tecnológico e científico”, destacou a ministra.

O edital é uma iniciativa conjunta do MCTI, Ministério das Mulheres e Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Confira o documento na íntegra aqui.

Assista a entrevista completa:

 

 

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation