Cuiabá, 20 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,60
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Polícia Sexta-feira, 26 de Janeiro de 2024, 07:59 - A | A

26 de Janeiro de 2024, 07h:59 A- A+

Polícia / HOMICÍDIO EM MT

Polícias Civil e Militar procuram por assassino do sargento da PM em Pedra Preta

Crime ocorreu na última segunda-feira (22), enquanto a vítima caminhava na região central da cidade

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

As equipes da Polícia Civil e Polícia Militar em trabalho conjunto identificaram e procuram por um dos autores do homicídio que vitimou o sargento, Djalma Aparecido da Silva, de 47 anos, ocorrido na última segunda-feira (22), no município de Pedra Preta (238 km ao sul de Cuiabá).

Um dos autores do crime identificado como Paulo Ricardo da Silva Ferreira está com o mandado de prisão temporária em aberto, decretado pela Vara Única de Pedra Preta e é procurado pelas equipes da Polícia Civil e Militar.

O policial militar foi alvejado por vários disparos de arma de fogo, enquanto caminhava na calçada do centro de eventos da cidade, não resistindo aos ferimentos e vindo a óbito no local. O policial militar prestava serviço nas cidades de Alto Garças e Alto Taquari, mas residia com sua família em Pedra Preta.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL 

As investigações apontaram que os autores do disparos estavam em um veículo Renault Sandero, que posteriormente foi localizado parcialmente queimado no bairro Monte Orebe. Dentro do veículo, foram encontrados alguns documentos que levaram a identificação do suspeito de participação no crime.

Com base na informação, foram realizadas outras diligências que confirmaram o envolvimento do suspeito no crime, tendo a Polícia Civil representado pelo seu mandado de prisão temporária, que foi deferido pela Justiça. Policiais realizaram diligências em uma residência em Rondonópolis, onde o procurado estaria escondido, porém ele já havia fugido do local.

As diligências estão em andamento para prender o suspeito, que tem uma arma registrada em seu nome e é considerado de alta periculosidade. Qualquer informação ligar 190 e 197. As denúncias são anônimas e sigilosas.

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation