Cuiabá, 12 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,43
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Polícia Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2024, 14:00 - A | A

21 de Fevereiro de 2024, 14h:00 A- A+

Polícia / OPERAÇÃO SODOMA

Polícia Civil prende cinco suspeitos de execução e ocultação de cadáver em Água Boa

Corpo da vítima foi localizado nessa terça-feira (20), enterrado na zona rural do município

DA REDAÇÃO

Cinco criminosos foram presos nessa terça-feira (20.02), no âmbito da Operação Sodoma, deflagrada pela Polícia Civil no município de Água Boa (730 km a leste de Cuiabá) para esclarecer um crime de execução e ocultação de cadáver.

Três investigados foram presos em cumprimento de mandado de prisão preventiva e dois foram presos em flagrante delito.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

A ação resultou, também, na localização do corpo da vítima, e na apreensão da arma de fogo, porções de drogas e dinheiro oriundo do tráfico de drogas. 



Os suspeitos respondem inquérito instaurado pela Delegacia de Água Boa, de natureza homicídio qualificado, porte ilegal de arma de fogo, associação criminosa e ocultação de cadáver.

Desaparecimento

Allan Davi Andrade Sousa, de 18 anos, era natural do Estado de Sergipe e veio para Mato Grosso junto com seu pai, para prestar serviços em uma empresa de manutenção de asfalto na cidade de Nova Nazaré (796 km a leste de Cuiabá).



No dia 07 de fevereiro o jovem desapareceu, ocasião em que a Polícia Civil foi acionada para apurar o caso, e então iniciaram as diligências, realizadas de forma ininterruptas.

Investigação

A Delegacia de Água Boa apurou que a vítima foi executada de forma cruel, por membros de uma facção criminosa que suspeitaram que Allan Davi pertencia a uma facção rival, e também pelo fato dele ter se envolvido com uma garota que seria mulher de um criminoso.



Conforme o delegado que coordena as investigações, Mateus Soares Augusto, uma outra vítima, também foi mantida em cativeiro junto com Allan Davi. Porém, antes da morte do jovem, ele foi liberado, pois os criminosos descobriram que ele não tinha envolvimento com a outra facção.

Por medo do crime organizado, a vítima permaneceu em silêncio durante toda investigação, tendo sido identificada somente na terça-feira (20), após a deflagração da Operação Sodoma.



“O crime foi repleto de crueldade e a morte da vítima teve motivação banal. O sucesso da operação com a prisão dos suspeitos, resolução dos fatos praticados e localização do corpo da vítima, é resultado do comprometimento e dedicação dos policiais civis”, destacou o delegado Mateus Soares.



Localização do corpo

Depois de presos, os suspeitos confessaram o crime e afirmaram que vítima foi morta em uma residência, onde foi enforcada com um lençol para não deixar vestígios de sangue. Na sequência, eles receberam apoio de outro faccionado para enterrar o corpo.



Diante das informações repassadas pelos criminosos, os policiais civis localizaram o corpo da vítima enterrado na zona rural do município de Água Boa.

 

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation