Cuiabá, 12 de Junho de 2024
DÓLAR: R$ 5,35
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Polícia Terça-feira, 28 de Maio de 2024, 10:50 - A | A

28 de Maio de 2024, 10h:50 A- A+

Polícia / OPERAÇÃO CARIMBO FAKE

PC cumpre 17 mandados em investigação sobre falsificação e venda de atestados médicos em VG

Investigações da Deccor apuraram crimes cometidos por agentes públicos de unidades da Secretaria de Saúde do município

PAULA VALÉRIA
DA REDAÇÃO

Logo pela manhã desta terça-feira (28), a Polícia Civil de Mato Grosso deflagrou a Operação Carimbo Fake para cumprir 17 ordens judiciais contra agentes públicos e particulares em uma investigação sobre falsificação e comércio de atestados médicos falsos. As investigações da Delegacia Especializada de Combate à Corrupção (Deccor) apuraram que agentes públicos de unidades de saúde de Várzea Grande cometeram os crimes. 

Durante a operação, estão sendo realizadas buscas e apreensões em residências e unidades de saúde dos suspeitos, com o objetivo de recolher provas que comprovem a prática criminosa. Além disso, estão sendo cumpridos mandados de afastamento das funções públicas dos agentes envolvidos, visando evitar a continuidade dos crimes.

A operação foi resultado da investigação apresentada à 4ª Vara Criminal de Várzea Grande, que, após manifestação favorável do Ministério Público, expediu oito mandados de buscas domiciliares e nove medidas cautelares, sendo duas ordens de afastamento do cargo, uma ordem de impedimento/suspensão de eventual nomeação em atividades relacionadas à Secretaria de Saúde Municipal de Várzea Grande e Secretaria Estadual de Saúde; três ordens de proibição de frequentar qualquer unidade de saúde (Upa, hospital ou pronto socorro públicos do Município de Várzea Grande) e três proibições de qualquer tipo de contato entre os investigados, testemunhas e outros servidores da saúde do município de Várzea Grande.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

Perícias técnicas realizadas comprovaram que diversos atestados médicos foram produzidos com carimbo e assinaturas falsos. Depois, os atestados eram vendidos pelo aplicativo WhatsApp e os pagamentos realizados via Pix, diretamente na conta bancária de servidores públicos municipais. Os atestados médicos falsos eram utilizados para justificar faltas ao trabalho e obter benefícios indevidos, causando prejuízos tanto para os cofres públicos quanto para as empresas privadas.

A investigação identificou que eram utilizados carro de aplicativo de transporte para a entrega dos atestados falsos aos interessados.

As investigações tiveram início a partir de informações recebidas na 1ª e 2ª Delegacia de Polícia de Várzea Grande que, ao identificarem o envolvimento de agentes públicos, remeteram as denúncias à Delegacia de Combate à Corrupção para continuidade das investigações. 

Polícia Civil reforça que a falsificação de documentos é um crime grave e que será rigorosamente investigado e punido. Os investigados devem responder pelos crimes de falsificação de documento público, corrupção passiva, corrupção ativa além de outros crimes conexos a apurar.

A operação Carimbo Fake é mais um resultado do trabalho constante da Deccor no combate à corrupção e na defesa da legalidade e da transparência na gestão pública. A Polícia Civil reitera seu compromisso em atuar de forma incansável para proteger a sociedade e garantir a punição dos responsáveis por condutas criminosas.

Comente esta notícia

NOTÍCIAS DO BRASIL E DO MUNDO