Cuiabá, 12 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,43
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Polícia Terça-feira, 07 de Maio de 2024, 14:04 - A | A

07 de Maio de 2024, 14h:04 A- A+

Polícia / TERROR E PÂNICO EM RS

Criminosos saqueiam residências abandonadas e cobram resgate de R$ 700 para salvar vítimas com animais

O delegado da capital gaúcha aconselha que os desabrigados esperem pelo resgate voluntário e de embarcações da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

Os moradores do Rio Grande do Sul vêm vivendo momentos de terror não só pelas enchentes, mas também pela onda de assaltos ocorridos na escuridão. Com o fornecimento de energia elétrica suspenso na capital, criminosos estão se aproveitando da vulnerabilidade de várias pessoas para cometer o crime.

No último domingo (05), por exemplo, dois criminosos tentaram assaltar um barco de resgate que estava com desabrigados, em Canoas. Dentro do barco, contudo, havia dois policiais, que acabaram prendendo os assaltantes. 

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL 

Os bandidos aproveitam quando as pessoas saem de suas casas para levar itens de valor. Diante desta situação, os voluntários que estão trabalhando para fazer o resgate na região de Canoas e São Leopoldo começaram a andar com espingardas para mostrar a possíveis assaltantes que estão armados.

Já nesta segunda-feira (06), pelo menos sete homens acusados de furtar essas residências e demais estabelecimentos, como mercadinhos e farmácias, foram detidos pela brigada que atuava no local

De acordo com a Brigada Militar do RS, dezenas de policiais tiveram suas férias canceladas e voltaram a trabalhar no fim de semana para que o policiamento seja reforçado.

Além das enchentes e roubos, os gaúchos ainda precisam lidar com o oportunismo daqueles que estão cobrando para fazer o resgate. A polícia recebeu denúncias que barqueiros estão cobrando R$ 500 para resgatar as vítimas, e, caso tenha animal doméstico, o preço sobe para R$700.

Um delegado da capital gaúcha afirmou que desde que o barco seja particular, esse tipo de serviço não é crime. Mas, aconselha que os desabrigados esperem pelo resgate voluntário e de embarcações da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros. 

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation