Cuiabá, 20 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,60
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Internacional Segunda-feira, 18 de Março de 2024, 14:30 - A | A

18 de Março de 2024, 14h:30 A- A+

Internacional /

Trump diz que, se não vencer eleições, os EUA terão “banho de sangue”

Candidato republicano à Presidência dos EUA, Trump ainda disse em discurso que imigrantes “não são pessoas”

LEONARDO MEIRELES
DO METRÓPOLIS

Durante um discurso em Ohio, para apoiar um candidato ao Senado, o ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump falou sobre “banho de sangue” caso não vencesse as eleições para a Casa Branca, no fim do ano. No mesmo ato, voltou a criticar a política de imigração adotada pela atual gestão.

No palanque para dar endosso a Bernie Moreno, que disputa as primárias republicanas do Senado, Trump falava sobre a indústria automobilística quando, de repente, disparou: “Agora, se eu não for eleito, vai ser um banho de sangue. Isso será o de menos. Vai ser um banho de sangue para o país”.

Depois, acrescentou: “Não creio que haverá outra eleição neste país se não vencermos esta eleição. Certamente não será uma eleição que seja significativa”. O discurso sem muitos detalhes suscitou críticas dos adversários e explicações de aliados.

“Ele quer outro 6 de janeiro, mas o povo americano vai dar-lhe outra derrota eleitoral em novembro porque continua a rejeitar o seu extremismo, a sua afeição pela violência e a sua sede de vingança”, analisou James Singer, porta-voz da campanha de Biden.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

Nancy Pelosi, ex-presidente democrata da Câmara dos EUA, também condenou os comentários. “O que isso significa, ele vai provocar um banho de sangue? Há algo errado aqui. […] Quanto mais precisam ver dele para entender que não é disso que se trata o nosso país?”, questionou.

Já Bill Cassidy, senador da Louisiana, defendeu o ex-mandatário: “Você também poderia olhar para a definição de banho de sangue e poderia ser um desastre econômico. E então, se ele está falando sobre a indústria automobilística, em particular em Ohio, então você pode contextualizar um pouco mais”.

“[Ele] Estava claramente falando sobre o impacto das importações devastando a indústria automotiva americana”, também amenizou Mike Pence, o antigo vice-presidente do empresário, que na semana passada recusou apoiar a candidatura de Trump.

Trump volta a criticar imigrantes

O ex-presidente, mais uma vez, não poupou os imigrantes no discurso. Em uma afirmação sem qualquer prova, alegou que países estrangeiros estavam “esvaziando” prisões e instituições mentais para mandar aos EUA.

“Não sei se você os chama de pessoas. Eles não são pessoas, na minha opinião. Mas não estou autorizado a dizer isso porque a esquerda radical diz que é uma coisa terrível de se dizer”, disparou.

 

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation