Cuiabá, 21 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,60
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Geral Sexta-feira, 22 de Março de 2024, 16:54 - A | A

22 de Março de 2024, 16h:54 A- A+

Geral / MONITORAMENTO DAS ÁREAS

Prefeitura de Lucas do Rio Verde inicia estudo para uso de drone no combate à dengue

Os equipamentos são de última geração e podem fazer o monitoramento e mapeamento aéreo de imóveis e terrenos com imagens em alta resolução

PAULA VALÉRIA
DA REDAÇÃO

A Prefeitura de Lucas do Rio Verde (MT), por meio da Secretaria Municipal de Saúde está adotando uma abordagem inovadora e tecnológica no combate à dengue, aproveitando as tecnologias disponíveis, como o uso de drones para aplicação de larvicida em focos do mosquito transmissor.

E pensando na inovação, durante o Show Safra, a secretaria aproveitou as tecnologias disponíveis, para conhecer de perto o uso de drones. Essa é uma tecnologia recente que, se adquirida pela Prefeitura, deve ser utilizada no combate à dengue.

Ao investir em tecnologias inovadoras e adaptá-las às necessidades locais, a Prefeitura demonstra um compromisso com a saúde pública e uma abordagem proativa no enfrentamento de desafios como a dengue.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

“Acho importante usar a tecnologia para combater uma situação que é problema para o Brasil inteiro, embora nossos agentes façam um bom trabalho aqui em Lucas do Rio Verde. Todo auxílio é bem-vindo. Nós estamos estudando a questão legal para o utiliza-lo aqui de forma correta e viável”, explica prefeito Miguel Vaz.

Considerando que o município tem 126 casos suspeitos notificados, sendo 82 confirmados, de acordo com o cenário epidemiológico de Lucas do Rio Verde, a adoção de tecnologias como drones pode ser uma ferramenta valiosa no controle da proliferação do mosquito vetor. Isso pode contribuir para reduzir a incidência da doença e proteger a população local.

Tecnologia

Os equipamentos são de última geração e podem fazer o monitoramento e mapeamento aéreo de imóveis e terrenos com imagens em alta resolução e precisão geoespacial, sinalizando possíveis focos de criadouros do mosquito Aedes Aegypti de forma aprofundada, e que os agentes de endemias não conseguem acessar, como telhados de casas, lajes, galpões e outros pontos com acúmulo de objetos em terrenos baldios.

“Nós, enquanto Secretaria de Saúde, estamos buscando novas tecnologias para o enfrentamento ao mosquito Aedes a Aegypti e assim obtendo conhecimento para novas ferramentas para combate. Aqui no Show Safra tivemos a oportunidade de ver novas possibilidades até de pulverização para que melhore ainda mais o trabalho. Sabemos que mesmo com todo esforço em novas contratações e o que já fazemos diariamente com nossas equipes os casos continuam acontecendo e precisamos buscar todas as alternativas”, pontua supervisora de Vigilância em Saúde, Claudia Engelmann.

Os locais com focos seriam registrados e referenciados para que seja criada uma estratégia definindo as áreas a serem pulverizadas com os drones e também para que as equipes de combate as Endemias possa orientar os proprietários e realizar as ações necessárias, ou notificar caso o proprietário não seja localizado.

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation