Cuiabá, 21 de Junho de 2024
DÓLAR: R$ 5,44
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Geral Terça-feira, 14 de Maio de 2024, 17:22 - A | A

14 de Maio de 2024, 17h:22 A- A+

Geral / 200 ATENDIMENTOS DIÁRIOS

Ministério da Saúde inicia atendimentos no hospital de campanha de Porto Alegre

Unidade funcionará com seis médicos, três enfermeiros, oito técnicos e receberá pacientes 24h

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O Ministério da Saúde inicia os atendimentos no hospital de campanha de Porto Alegre nesta terça-feira (14), às 19h. A estrutura funcionará 100% com recursos da Força Nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) e do Grupo Hospitalar Conceição (GHC).

O hospital vai contar com seis médicos, três enfermeiros e oito técnicos. A unidade receberá pacientes 24h e tem capacidade para 200 atendimentos diários.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL 

Com a abertura do hospital, o Ministério da Saúde passa a operar dois hospitais de campanha, levando em consideração o que já está instalado em Canoas. Além destes, um está em fase de montagem em São Leopoldo, distante 40 quilômetros da capital. Outra estrutura será instalada em cidade a ser definida.

O secretário de Atenção Primária à Saúde, Felipe Proenço, ressaltou a importância da atuação da Força Nacional do SUS e do GHC na operacionalização dos quatro hospitais de campanha pertencentes ao Ministério da Saúde.

“Estamos, desde o início da operação, trabalhando para ampliar e manter a rede de assistência no Rio Grande do Sul. Esse é mais um importante passo do trabalho que tem sido desenvolvido diuturnamente no estado. Nosso foco é que toda a população tenha assistência disponível”, comenta.

Em apoio ao sistema de saúde no Rio Grande do Sul, as Forças Armadas montaram cinco Hospitais de Campanha. A primeiras unidades hospitalares, distribuídas nos municípios de Canoas, Eldorado do Sul, Estrela, Guaíba e São Leopoldo, começaram a funcionar a partir do dia 3 de maio e realizam, gratuitamente, cerca de 150 atendimentos por dia. Com 70 militares da área de saúde à frente dos atendimentos, são oferecidos procedimentos em especialidades como clínico geral, pediatria, odontologia, ortopedia, ginecologia e obstetrícia, além de atendimento psicológico.

Atendimentos

Entre 5 de maio, início da operação, e esta segunda-feira (13) foram realizados 1.779 atendimentos pelas equipes da Força Nacional do SUS. Somente o hospital de campanha de Canoas realizou 1.176 atendimentos. As equipes volantes receberam 575 pessoas. Houve, ainda, 68 atendimentos psicossociais e 28 remoções aéreas.

Com 5 hospitais de campanha, Forças Armadas apoiam sistema de saúde

Em apoio ao sistema de saúde no Rio Grande do Sul, as Forças Armadas montaram cinco Hospitais de Campanha. O estado sofre com a maior enchente desde 1941 e apresenta carências em serviços de primeira necessidade. As primeiras unidades hospitalares, distribuídas nos municípios de Canoas, Eldorado do Sul, Estrela, Guaíba e São Leopoldo, começaram a funcionar a partir do dia 3 de maio e realizam, gratuitamente, cerca de 150 atendimentos por dia. Com 70 militares da área de saúde à frente dos atendimentos, são oferecidos procedimentos em especialidades como clínico-geral, pediatria, odontologia, ortopedia, ginecologia e obstetrícia, além de atendimento psicológico.

De acordo com a inspetora do Escalão de Saúde do Comando Conjunto da Operação Taquari II, Tenente-Coronel Médica Maria Eliane Paulino de Oliveira, os Hcamp são fundamentais no apoio à saúde nas situações de calamidade. “Eles diminuem o estresse das estruturas de saúde locais, que muitas vezes estão colapsadas e sobrecarregadas”, afirmou.

A médica explica que, além do atendimento médico, muitas pessoas necessitam de apoio psicológico. “Os pacientes estão bastante abalados emocionalmente, tendo em vista as perdas que sofreram. Para ajudar nessa questão, a gente tem uma equipe volante de psicólogos e assistentes sociais. Temos, também, um capelão militar nos HCamp e abrigos municipais”, descreveu.

Os profissionais de saúde das Forças Armadas atendem das 7h às 20h, exceto em Eldorado do Sul, onde a unidade militar é a única opção de atendimento médico e funciona 24 horas. De acordo com a médica, os atendimentos mais procurados são referentes a problemas respiratórios, mordidas de animais, gastroenterites e infecções de pele. Para tanto, as estruturas de campanha estão preparadas para realizar exames, como raio-X e laboratoriais, e distribuir medicamentos.

Até o momento, sob coordenação do Ministério da Defesa, 17 mil militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica estão envolvidos diretamente na força-tarefa do Governo Federal para apoiar a região. Desde o início da operação Taquari II, em 30 de abril, já foram resgatados em torno de 70 mil pessoas e 10 mil animais. A ação conta com 330 embarcações (lanchas e botes), 35 aeronaves (aviões e helicópteros) e 5 navios, além de 4.500 viaturas e equipamentos de engenharia.

Comente esta notícia

NOTÍCIAS DO BRASIL E DO MUNDO