Cuiabá, 17 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,48
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Saúde Sábado, 15 de Junho de 2024, 11:07 - A | A

15 de Junho de 2024, 11h:07 A- A+

Saúde / VEJA QUAL

Pesquisa sugere que suplemento pode reduzir agressividade

Suplemento foi capaz de diminuir episódios de raiva em 28%. Pesquisadores sugerem que resultado é fruto da nutrição do cérebro

BRUNO BUCIS
DO METRÓPOLES

Viver com raiva não faz bem. A agressividade, além de ser um motor de episódios de violência social, é também prejudicial ao funcionamento do organismo, aumentando níveis de estresse e restringindo a circulação sanguínea.

Há momentos, entretanto, em que parece impossível não perder a paciência. Para dar uma ajuda na hora de se acalmar, a ciência descobriu uma forma inusitada de manter a raiva em níveis mais saudáveis.

Uma pesquisa feita por psicólogos e criminalistas da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, indicou que o uso frequente de suplementos alimentares de ômega-3 pode reduzir os níveis de agressividade em uma média de 28% comparado com o grupo que tomava placebo.

De acordo com a investigação publicada em maio na revista Aggression and Violent Behavior, os ácidos graxos disponíveis nas cápsulas feitas a partir de óleo de peixe parecem ser capazes de reduzir inflamações cerebrais e melhorar o fluxo de sangue no organismo.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo linkFTN BRASIL 

Com um cérebro melhor alimentado, o resultado prático parece ser um indivíduo mais racional e calmo. O estudo inclui tanto a agressão reativa (em resposta a uma provocação) como a agressão proativa (um comportamento planejado antecipadamente).

Carlosgaw/Getty ImagesFoto colorida de salmão e brócolis -Metrópoles
Anchovas, sardinhas e salmão são peixes ricos em ômega-3

A pesquisa foi feita a partir da revisão de 29 ensaios clínicos que envolveram 3,9 mil participantes no total. Só foram considerados episódios agressivos os que levaram às vias de fato ou a brigas verbais com trocas de ofensas reportadas pelos voluntários.

Embora os dados sejam limitados e os pacientes tenham sido acompanhados por pouco tempo, os cientistas sugerem que o suplemento e uma nutrição adequada podem ser possibilidades de tratamento para a redução de episódios agressivos.

 

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation