Cuiabá, 21 de Junho de 2024
DÓLAR: R$ 5,45
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Saúde Sexta-feira, 17 de Maio de 2024, 17:22 - A | A

17 de Maio de 2024, 17h:22 A- A+

Saúde / TONY RAMOS

Entenda o que é o hematoma subdural, que levou ator à UTI

Tony Ramos teve um sangramento intracraniano na noite de quinta-feira (16) e passou por cirurgia às pressas. O ator segue internado no Rio

BRUNO BUCIS
DO METRÓPOLIS

O ator Tony Ramos foi internado nessa quinta-feira (16/5), no Hospital Samaritano de Botafogo, no Rio de Janeiro. A estrela de 75 anos teve de passar por uma cirurgia às pressas para controlar um hematoma subdural, um tipo de sangramento intracraniano que ele sofreu.

Ele segue internado e seu quadro é estável, de acordo com o boletim médico.

Esse tipo de sangramento costuma ocorrer em uma das membranas que recobre o cérebro e possui dois tipos. O agudo é consequência de um golpe forte, como um acidente de moto, em que o sangue começa a se acumular na membrana de forma repentina e intensa.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

Entretanto, há um hematoma subdural crônico, um sangramento mais comum e que cresce aos poucos. Ele apresenta consequências a médio prazo, demorando de um mês a 45 dias para ser percebido nos exames.

Segundo o neurocirurgião Victor Hugo Espíndola, especialista em doenças cerebrovasculares, esse tipo de hemorragia intracraniana pode ser causada até por impactos imperceptíveis.

“Ele é mais comum em idosos, especialmente em pacientes que fazem uso de medicações anticoagulantes ou antiagregantes ou em pacientes alcoólatras”, explica.

Sintomas e tratamento do hematoma subdural, que atingiu Tony Ramos

Entre os sintomas do hematoma subdural estão desde dores de cabeça intensas e recorrentes até uma perda de força de um lado do corpo, sonolência, e, se não for tratado, até mesmo coma, tudo como consequência da pressão que o bolsão de sangue formado vai exercendo sobre o cérebro.

“O tratamento vai depender basicamente do tamanho desse hematoma. Nos menores, o uso de medicações e tratamentos por cateterismo costumam resolver, mas em lesões de grande massa é preciso fazer uma cirurgia emergencial para tirar esse sangramento e aliviar a pressão dentro do cérebro”, conclui o especialista.

 

Comente esta notícia

NOTÍCIAS DO BRASIL E DO MUNDO