Cuiabá, 17 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,49
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Política e Eleições Sábado, 22 de Junho de 2024, 08:00 - A | A

22 de Junho de 2024, 08h:00 A- A+

Política e Eleições / LEIS MAIS SEVERAS

“Temos que parar de romantizar a Segurança Pública e agir na raiz do problema”, defende governador de MT

Durante o “III Simpósio de Patrulhamento Tático - No combate às facções criminosas”, realizado no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, na sexta-feira (21), Mauro Mendes também afirmou ser contra a instalação de câmeras de segurança no fardamento dos policiais

PAULA VALÉRIA
DA REDAÇÃO

O governador Mauro Mendes enfatizou a necessidade de acabar com a abordagem "romantizada" da Segurança Pública no Brasil, defendendo medidas duras e assertivas contra o crime organizado. Ele reiterou essa posição durante seu discurso no “III Simpósio de Patrulhamento Tático - No combate às facções criminosas”, realizado no Palácio Paiaguás, em Cuiabá, na sexta-feira (21). Mendes destacou a importância de ações mais enérgicas para enfrentar a criminalidade e ressaltou a urgência de implementar políticas que efetivamente combatam as facções criminosas.

“Todos os indicadores que monitoram a Segurança Pública no Brasil pioraram nos últimos 40 anos, em todos os governos. Precisamos revisitar as leis, corrigi-las e fazer com que elas sejam cumpridas efetivamente. Hoje o cara mata, é condenado a 20 anos de prisão e solto em dois ou três anos por bom comportamento. Do jeito que está, a sociedade caminha equivocadamente para um país mais violento”, afirmou, ao defender que o Congresso Nacional, responsável pela criação de leis no país, proponha legislações mais eficientes, duras e efetivas contra a criminalidade.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo linkFTN BRASIL 

Mauro ressaltou que a criminalidade tem afetado a sociedade e destruído famílias diariamente. “Muitos jovens moradores da periferia passaram a ter o sonho de entrar para essas facções, que chamam de família, e deixaram de lado o sonho de ser jogadores de futebol, médicos e representantes da sociedade. É uma completa hipocrisia e inversão de valores”, disse.

O governador citou que o Brasil é o 5° país do mundo que mais investe em Segurança Pública, com cerca de 3% do Produto Interno Bruto (PIB). Em 2023, foram aportados mais de R$ 375 bilhões. Porém, é um dos países mais violentos do planeta.

Mauro também afirmou ser contra a instalação de câmeras de segurança no fardamento dos policiais, tendo em vista que casos isolados de má conduta não são o principal problema de violência no país.  

“Não vai resolver, não é algo efetivo. Não são os nossos policiais que cometem crime para tal ação. No que depender de mim, essa não será uma política pública implementada no nosso governo”, completou.

Participaram da cerimônia de abertura a primeira-dama, Virginia Mendes; o secretário de Estado de Segurança Pública de São Paulo, Guilherme Muraro, o secretário de Estado de Segurança Pública de Minas Gerais, Rogério Greco;  os secretários de Estado César Augusto Roveri (Segurança) e Grasi Bugalho (Setasc); o comandante geral da Polícia Militar, coronel Alexandre Correa Mendes, o Coronel PM de São Paulo, Cássio Araújo de Freitas, o tenente-coronel Leonardo Akira Takahashi; o comandante do Batalhão de ROTA da PM de São Paulo, entre outras autoridades.

Investimento pesado

O Governo de Mato Grosso está empenhado na luta contra a criminalidade, investindo mais de R$ 1,3 bilhão em todos os municípios do estado. Entre as ações destacadas estão:

- Entrega de 12.100 pistolas Glock;

- Distribuição de 948 fuzis e espingardas;

- Fornecimento de 398 novas viaturas;

- Disponibilização de 180 motocicletas;

- Aquisição de 24 caminhões auto tanque;

- Implementação de 4.042 rádios digitais;

- Fornecimento de 6.900 coletes balísticos;

- Entrega de 662 pistolas não letais;

- Distribuição de 24.000 fardas da PM;

- Entrega de 2.400 kits da Polícia Penal.

Esses investimentos visam equipar e fortalecer as forças de segurança, garantindo maior eficiência e capacidade de resposta no combate ao crime organizado em todo o estado.

A gestão também foi responsável pela autorização do concurso público que nomeou mais de 1150 novos representantes da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, Polícia Civil e Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec).

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation