Cuiabá, 22 de Junho de 2024
DÓLAR: R$ 5,43
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Política e Eleições Quinta-feira, 16 de Maio de 2024, 08:10 - A | A

16 de Maio de 2024, 08h:10 A- A+

Política e Eleições / GREVE CONTINUA

Sem reajuste para 2024, governo federal apresenta proposta de 31% aos professores até 2026

Docentes estão em greve a mais de 30 dias e reivindicam melhores salários

PAULA VALÉRIA
DA REDAÇÃO

O governo federal apresentou nesta quarta-feira (15), durante reunião entre o Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior (ANDES-SN) e o Ministério da Gestão, uma nova proposta de negociação aos docentes de universidades e institutos federais, que estão em greve há mais de um mês. De acordo com o que foi ofertado, as remunerações podem subir até 31%. No entanto, caso a oferta seja aceita, os reajustes começam apenas no ano que vem e ocorrem de maneira escalonada até 2026.

Não foi definida uma data para que a resposta seja apresentada. Na proposta feite em abril, o governo oferecia aumento que poderia variar de 12,8% e 16,1% até 2026, de acordo com o cargo e função ocupado pelo servidor. Agora, de acordo com o que foi apresentado, os valores do reajuste podem variar de 13% até chegar em 31%.

O secretário de Relações de Trabalho do Ministério da Gestão e da Inovação, José Lopez Feijóo, afirmou que a proposta do governo "é a última saída viável para este ano".

 Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

“Se nós considerarmos o reajuste concedido a todos os servidores e servidoras públicos federais no ano de 2023, de 9%, significa que o reajuste proposto agora para os docentes vai variar entre 23% a 43%, no período dos quatros anos do mandato do governo Lula.”

Segundo o secretário, haveria uma recomposição de toda a inflação prevista para o atual mandato e ” uma importante recuperação de perdas dos governos passados que sequer recebiam os trabalhadores e trabalhadoras para qualquer tipo de diálogo ou de negociação".

Após a reunião, a 1ª Tesoureira do Sindicato Nacional dos Docentes das Instituições de Ensino Superior, Jennifer Susan Webb, afirmou que apenas a partir da análise do novo cenário será possível “compreender os percentuais que vão incidir na remuneração”, uma vez que cada classe teria um nível diferente de reajuste.

Decisão da categoria

A categoria definiu que até 27 de maio irá dar uma resposta ao governo federal. A manifestação ocorrerá após novas assembleias a serem realizadas pelo comando de greve, representado pelo Andes e pelo Sindicato Nacional dos Servidores Federais da Educação Básica, Profissional e Tecnológica. Até lá, a greve continua.

Na próxima terça-feira 21, o governo federal ainda deve formalizar uma proposta de reajuste aos técnicos administrativos das universidades e dos institutos da rede federal, categoria que deflagrou uma greve antes mesmo dos docentes.

Comente esta notícia

NOTÍCIAS DO BRASIL E DO MUNDO