Cuiabá, 24 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,59
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Política e Eleições Quarta-feira, 24 de Janeiro de 2024, 14:18 - A | A

24 de Janeiro de 2024, 14h:18 A- A+

Política e Eleições / G20 BRASIL

Representantes do GT de Economia Global apresentam balanço sobre primeira reunião do Grupo

Desigualdade, dentro dos países e entre eles, vai ocupar o centro dos debates do GT em 2024

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

As representantes do Grupo de Trabalho (GT) de Economia Global da Trilha de Finanças do G20, Keiti Gomes, do Ministério da Fazenda, e Cyntia Azevedo, do Banco Central, apresentaram um balanço da primeira reunião do grupo – ocorrida na última quarta e quinta-feira (17 e 18/1), em videoconferência, a partir de Brasília. Segundo Gomes e Azevedo, dentre os principais assuntos tratados no encontro estiveram a definição do plano de trabalho do grupo, a forma de abordagem da temática da desigualdade e a escolha das organizações internacionais que participarão das atividades.

O encontro inaugurou o conjunto de reuniões dos Grupos de Trabalho da Trilha de Finanças do G20 agendadas para 2024. O GT de Economia Global reúne representantes técnicos das equipes dos países envolvidos nas discussões, é coordenado pelo Ministério da Fazenda e conta com a participação do Banco Central. As discussões de temas estruturantes da economia global estão sendo discutidos sob a ótica da presidência brasileira.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL 

Segundo Keiti Gomes, coordenadora do GT, a temática da desigualdade, tema prioritário do Grupo,  será debatida com foco em três grandes prioridades. A primeira delas se refere às implicações macroeconômicas da desigualde. O objetivo é analisar  “como a desigualdade afeta a macroeconomia e como a macroeconomia afeta a desigualdade”, de acordo com Gomes. Ela explica que a segunda prioridade diz respeito à transição energética sustentável e seus efeitos distributivos, o que leva à terceira: os investimentos, com necessidade de mobilização de capital e de espaço fiscal. “O processo de transição exige um ciclo de investimentos”, ressalta. “Estamos colocando a desigualdade como eixo central, mas queremos olhá-la nessas três grandes perspectivas. A agenda de redução de desigualdade tem um potencial transformador, se pensarmos globalmente”, afirma Keiti Gomes.

Plano Transformador

O tema desigualdade – dentro dos países e entre eles –  vai ocupar o centro dos debates em 2024 do GT de Economia Global da Trilha de Finanças do G20. O plano de trabalho do grupo se alinha aos objetivos definidos pela presidência brasileira do G20 com base nas prioridades já definidas pelo governo federal – entre as quais estão o combate à fome, pobreza e desigualdade; o desenvolvimento sustentável e a reforma da governança global. A inserção do tema na pauta  de discussões assegura que todos os membros do G20 debaterão simultaneamente a busca de soluções para um dos maiores desafios globais, que compromete o desenvolvimento de países e regiões e está em conformidade com as diretrizes gerais estabelecidas na primeira reunião de deputies, ministros de Finanças e presidentes de Bancos Centrais, realizada em 14 e 15 de dezembro do ano passado, e a partir da qual o plano de trabalho Grupo de Economia Global começou a ser construído.

Agenda

A segunda reunião deste grupo está marcada para março; a terceira para junho e a quarta para o segundo semestre. Nos encontros serão discutidos temas como os desafios da economia global, as formas de transição energética, a mobilização de recursos públicos para avanços sociais e o monitoramento de riscos globais – sempre com foco na redução das desigualdades.  

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation