Cuiabá, 21 de Junho de 2024
DÓLAR: R$ 5,45
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Política e Eleições Segunda-feira, 27 de Maio de 2024, 16:32 - A | A

27 de Maio de 2024, 16h:32 A- A+

Política e Eleições / COM URGÊNCIA

Governador Leite cobra do Governo Federal Auxílio Emergencial para geração de empregos no RS

As medidas solicitadas pelo governador estão em análise pelo governo federal. Leite também demanda a recomposição das perdas de arrecadação, que a Secretaria da Fazenda (Sefaz) calcula poderem chegar a R$ 11 bilhões até o fim do ano

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

Em audiência realizada na tarde desta segunda-feira (27) na Câmara de Indústria, Comércio e Serviços (CIC) Caxias do Sul, o governador Eduardo Leite voltou a apresentar demandas do Estado ao governo federal, representado pelo vice-presidente Geraldo Alckmin, para reconstrução após as enchentes de maio. No encontro, Leite ressaltou como prioridade na pauta econômica a criação, por parte da União, de programa para manutenção dos empregos.

“Algumas medidas do governo federal já evoluíram, como a suspensão do pagamento da dívida, e é importante que possamos avançar ainda mais. Com absoluta prioridade e urgência, precisamos da criação de um programa como o Benefício Emergencial para dar as condições de manutenção dos empregos. Também precisamos avançar nas medidas de crédito a empreendedores, com a participação dos bancos públicos e cooperativas de crédito, dando capilaridade a essas iniciativas no nosso território”, afirmou Leite.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL 

As medidas solicitadas pelo governador estão em análise pelo governo federal. Leite também demanda a recomposição das perdas de arrecadação, que a Secretaria da Fazenda (Sefaz) calcula poderem chegar a R$ 11 bilhões até o fim do ano.

Reunião com Geraldo Alckmin em Caxias do Sul
O governador também demandou a recomposição das perdas de arrecadação do Rio Grande do Sul - Foto: Maurício Tonetto/Secom

“A suspensão da dívida não terá o efeito desejado para a reconstrução se, de outro lado, tivermos profundo desequilíbrio pela perda de receitas. O Rio Grande do Sul gera arrecadação de impostos federais ao ano bem maior do que recebe de volta. Neste momento de dificuldade, precisamos de mais receita para garantir o equilíbrio, a manutenção dos serviços e promover a recuperação do Estado”, reforçou o governador.

Durante a audiência, Alckmin anunciou que o governo federal terá linhas de crédito especiais junto aos bancos públicos, com juro real zerado para apoiar pequenas e médias empresas. Em relação a empresas de grande porte, a União deve fazer anúncios na próxima semana.

Também participaram da reunião os secretários de Desenvolvimento Econômico, Ernani Polo, e de Trabalho e Desenvolvimento Profissional, Gilmar Sossella, além do prefeito de Caxias do Sul, Adiló Didomenic

Comente esta notícia

NOTÍCIAS DO BRASIL E DO MUNDO