Cuiabá, 24 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,66
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Política e Eleições Sábado, 03 de Fevereiro de 2024, 08:39 - A | A

03 de Fevereiro de 2024, 08h:39 A- A+

Política e Eleições / ESTRATÉGIA DE IMUNIZAÇÃO

Comissão do TCE-MT alinha estratégias para auditoria coordenada sobre Programa Nacional de Imunizações

“Não podemos permitir que doenças erradicadas no Brasil voltem a ser registradas. Por isso a Comissão está comprometida com ações como esta", disse conselheiro Guilherme Maluf

PAULA VALÉRIA
DA REDAÇÃO

Representantes da Comissão Permanente de Saúde, Previdência e Assistência Social do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), se reuniram na tarde desta última quarta-feira (31), com objetivo de alinharam estratégias para a realização de auditoria coordenada sobre o Programa Nacional de Imunizações (PNI). O trabalho, coordenado pela Rede Integrar, vai resultar em um diagnóstico da adesão dos estados e municípios aos sistemas de informações relacionados ao PNI. 

De acordo com o presidente da Comissão, conselheiro Guilherme Maluf, durante a auditoria coordenada também serão verificados o estoque e as perdas de vacinas. 

“Já temos realizado estudos e ações sobre o tema, incluindo visitas técnicas e a emissão de notas recomendatórias para orientar os municípios sobre as estratégias de imunização. Agora, contribuiremos com essa auditoria oferecendo suporte técnico, avançando ainda mais para dar efetividade às políticas públicas deste setor”, disse.

A Rede Integrar de Políticas Públicas Descentralizadas é um grupo colaborativo formado pelos Tribunais de Contas do Brasil, por meio do Acordo de Cooperação Técnica que inclui o Instituto Rui Barbosa (IRB), Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon) e Tribunal de Contas da União (TCU). 

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

 

O objetivo do grupo é acompanhar e fiscalizar o ciclo completo das políticas públicas descentralizadas, ou seja, aquelas que envolvem mais de um nível de governo. Por meio das ações conjuntas e do compartilhamento de dados, a iniciativa evita a duplicação de esforços operacionais e agiliza o tempo de resposta das decisões dos gestores. 

 

O conselheiro reforça que o diagnóstico das deficiências dos serviços prestados vai possibilitar a execução de ações para a melhoria na vacinação. Para Maluf, o trabalho se torna ainda mais relevante se considerada uma queda nos números da imunização no país observada recentemente.

“Não podemos permitir que doenças erradicadas no Brasil voltem a ser registradas. Por isso a Comissão está comprometida com ações como esta. É claro, quem aplica as políticas públicas de saúde são os gestores, mas nós somos parceiros nessa aplicação porque entendemos que assim podemos evitar milhares de mortes”, concluiu o conselheiro.

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation