Cuiabá, 18 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,54
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Política e Eleições Quinta-feira, 07 de Março de 2024, 11:56 - A | A

07 de Março de 2024, 11h:56 A- A+

Política e Eleições / "VIADINHO DE MERDA"

Ativista faz BO contra vereador e o denuncia por homofobia; Vidal alega perseguição e morte

De acordo com Vidal, Edna Sampaio teria investido ‘tudo’ contra o ex-presidente do processo, que foi o vereador Rodrigo de Sá e agora, estaria disposto a fazer o mesmo com ele, por ser o atual presidente

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O ativista Marlon Figueiredo denunciou o vereador por Cuiabá, Sargento Vidal (MDB), por homofobia. Segundo o ativista, o parlamentar o chamou de ‘viadinho de merda’.

Ainda de acordo com o post, o caso ocorreu na Câmara Municipal após ambos se ‘esbarrarem’ no corredor da Casa de Leis.  Marlon contou que ficou incomodado com o modo que o parlamentar o olhou e acabou questionando-o se ele o estava achando bonito, contudo, ficou bastante constrangido com a forma pejorativa da resposta.

“Estou aqui na Câmara Municipal, vim ao gabinete da vereadora Edna Sampaio e na entrada da Câmara tive o desprazer de encontrar o vereador Sargento Vidal, ele estava vindo em minha direção, me encarando, então perguntei: O que foi Vidal? Me achou bonito? Foi quando ele voltou e falou o seguinte: o que você está fazendo aqui, seu viadinho de merda? Mesmo se eu fosse, o problema é de quem? Preconceito, homofobia, chega né? E logo de um parlamentar!”.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

Após apontar a coação, Marlon solicitou as gravações das câmeras de segurança da Casa de Leis para que pudesse registrar um boletim de ocorrência contra Vidal.

“Pois bem! tem uma câmera bem aqui na frente e foi possível pegar esse afronto! Portanto, estou solicitando as imagens e vou fazer um boletim de ocorrência quanto a esse caso. Como se não bastasse, uma assessora do vereador Vidal veio até o gabinete da Edna e tirou uma foto minha. Questionei quem era, ela disse ser amiga do Vidal. Fui coagido dentro da Câmara Municipal!”, disse. 

Outro lado 

o vereador Sargento Vidal (MDB) afirmou acreditar que a denúncia do ativista Marlon Figueiredo estaria ligado ao processo de cassação da vereadora, Edna Sampaio (PT). 

De acordo com Vidal, a petista teria investido ‘tudo’ contra o ex-presidente do processo, que foi o vereador Rodrigo Arruda de Sá (Cidadania) e, agora, estaria disposto a fazer o mesmo com ele, por ser o atual presidente.

“Na verdade, nós já sabemos o que é! Porque a vereadora Edna na primeira cassação dela ela investiu tudo que pode contra aquele que ficou presidente, que foi o Rodrigo Arruda de Sá, posso estar errado, mas pelo que estou notando após eu ser sorteado a ser presidente, - sem eu pedir ou querer -, hoje já aconteceu isso! Estou há três anos na Câmara, nada como isso havia acontecido”, disse

Afirmando ser perseguido pelo ativista há cerca de um ano, Vidal supôs que o encontro com Marlon na Câmara não teria sido coincidência.

“Esse cara está me trazendo problemas nas redes sociais há um ano, mas ele nunca teve coragem de ir à Câmara! Então, sem dúvida, que foi uma armação, pois 11h:40 estou saindo da Câmara e o cara encontra-se comigo bem na virada da calçada! Portanto, coincidência jamais! Ele passou por mim e falou que iria acabar com a minha vida, mas eu não o chamei de nada, apenas pedi para ele repetir o que tinha falado”, contou

Contudo, o vereador assegurou que já havia realizado uma representação contra o ativista e solicitado que ele seja proibido de entrar na Casa de Leis. 

“Já tomei as providências e fiz uma representação contra ele! Também entrei com uma medida na Câmara para barrar a entrada dele, porque um cara desse é perigoso entrar lá dentro!”.

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation