Cuiabá, 21 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,60
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Geral Terça-feira, 16 de Janeiro de 2024, 07:54 - A | A

16 de Janeiro de 2024, 07h:54 A- A+

Geral / "EXTREMA CAUTELA"

Aprosoja Brasil afirma: "Safra 2023/24 de soja deve ficar abaixo de 135 milhões de toneladas"

Diante deste quadro, a Aprosoja recomenda aos produtores “extrema cautela e a readequação dos negócios diante desta dura realidade”

PAULA VALÉRIA
DA REDAÇÃO

 Na visão da Associação dos Produtores de Soja do Brasil (Aprosoja Brasil), a safra 2023/24 de soja será de 135 milhões de toneladas. A estimativa foi divulgada nesta segunda-feira (15) após a coleta de dados das 15 Aprosojas estaduais.

“Os números estão bem abaixo do que tem sido divulgado por instituições e empresas públicas e privadas do Brasil e do exterior”, aponta a entidade.

Conforme o 4º Levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), projetou a atual temporada em 155,2 milhões de toneladas, até o mês de janeiro.

Adversidades climáticas

Os dados divulgados pela Aprosoja levam em consideração o estresse hídrico a que foram submetidos os estados do Centro-Oeste, bem como o excesso de chuvas em áreas desses mesmos lugares, o que dificultou o trabalho de colheita dos grãos e levou prejuízos ainda maiores aos produtores.

O estresse hídrico, que ocorre quando há escassez de água disponível para as plantas, pode levar à redução da produtividade e também ao aumento da vulnerabilidade das lavouras a pragas e doenças.

Por outro lado, o excesso de chuvas também causa problemas para os produtores, já que as condições de umidade excessiva podem dificultar o trabalho de colheita, causar perdas de grãos devido ao apodrecimento e aumentar o risco de erosão do solo.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

“Também há relatos contundentes de produtores do sul do país, principalmente no estado do Paraná, que sofreram com o excesso de chuvas no início do plantio e agora enfrentam a falta da chuva nas áreas em que a soja está na fase reprodutiva, o que compromete a produtividade das lavouras. Em razão de toda essa instabilidade, a Aprosoja Brasil projeta um número ainda mais baixo, caso o clima não se altere”, diz a nota da entidade.

De acordo com os diretores da Aprosoja Brasil, a divulgação no mercado de dados sobre a safra que não condizem com a realidade tem provocado uma tendência de baixa nos preços.

“Os produtores, além de terem redução de produtividade, têm que lidar com preços incompatíveis com a realidade, trazendo prejuízo aos sojicultores e às regiões produtoras”.

Diante deste quadro, a entidade recomenda aos produtores “extrema cautela e a readequação dos negócios diante desta dura realidade”.

A Aprosoja ainda solicita aos parceiros comerciais que financiam a safra que demonstrem o “valor da parceria diante da eventual capacidade dos produtores de honrar todos os compromissos programados”.

 

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation