Cuiabá, 18 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,54
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Polícia Quinta-feira, 07 de Março de 2024, 08:00 - A | A

07 de Março de 2024, 08h:00 A- A+

Polícia / CRIMES AMBIENTAIS

Vereador de Cotriguaçu é denunciado pelo MPE por extração ilegal de madeira

O MP requereu o pagamento de valor mínimo de R$ 113.400,00 para reparação dos danos causados ao meio ambiente

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

A Promotoria de Justiça de Cotriguaçu (a 950 km de Cuiabá) denunciou o vereador Joaquim Bernardo de Jesus e Eles dos Santos Tostas por crimes ambientais praticados em um sítio, na zona rural do município.

Conforme o Ministério Público, os dois denunciados “tiveram em depósito e armazenaram 189 m³ de madeiras sem licença válida” para isso, bem como “causaram dano direto à Unidade de Conservação Parque Estadual Igarapés do Juruena”.

O MP requereu o pagamento de valor mínimo de R$ 113.400,00 para reparação dos danos causados ao meio ambiente.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

De acordo com a denúncia, a Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) realizou fiscalização na Unidade de Conservação e constatou no imóvel rural Sítio Nossa Senhora da Penha madeira em toras e lotes de madeira serrada.

“As madeiras estavam tampadas com palhas de coqueiros com a finalidade de burlar a fiscalização ambiental”, narrou o MP.

Conforme apurado, a madeira apreendida pertence ao denunciado Joaquim de Jesus, atualmente vereador no município de Cotriguaçu, e o denunciado Eles dos Santos Tosta era o responsável por esconder o produto florestal em seu sítio.

“O sítio onde a madeira foi apreendida localiza-se na divisa com o Parque Estadual Igarapé do Juruena. Deste modo, resta evidente que os denunciados causaram dano direto na referida Unidade de Conservação com extração ilegal de madeira deste local”, argumentou o promotor de Justiça Cristiano de Miguel Felipini. 

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation