Cuiabá, 20 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,60
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Polícia Quinta-feira, 08 de Fevereiro de 2024, 14:12 - A | A

08 de Fevereiro de 2024, 14h:12 A- A+

Polícia / DESAPARECIDA

STJ absolve acusado de matar namorada condenado a 22 anos e 4 meses de prisão

Ao analisar o caso, o ministro frisou que as provas indicam apenas que o réu era uma pessoa violenta destacou que não há testemunhas que presenciaram o suposto crime

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

O ministro Joel Ilan Paciornik, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), absolveu Izomauro Alves Andrade, que foi condenado a 22 anos e 4 meses de prisão pela morte da estudante de Direito, Lucimar Fernandes Aragão, em Cuiabá. A decisão foi publicada nesta terça-feira (6).

Lucimar desapareceu em 2020 e nunca mais foi encontrada.

A defesa de Izomauro impetrou um habeas corpus no STJ, contestando a condenação, diante da inexistência de provas de que o réu cometeu os crimes de homicídio e ocultação de cadáver.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

Ao analisar o caso, o ministro frisou que as provas indicam apenas que o réu era uma pessoa violenta, já que um mês antes do suposto homicídio, teria agredido a vítima. “No entanto, isso não leva à conclusão de que o paciente tenha cometido crime”.

“Da análise dos depoimentos colacionados aos autos, vê-se que ninguém testemunhou a ocorrência de homicídio, ou ao menos, de indícios da sua prática”.

“Aliás, sequer foi encontrado o corpo da vítima, não sendo possível concluir que ela está morta ou desaparecida. Assim, constata-se que a decisão do Júri não está amparada em nenhuma prova indicativa da materialidade do crime e da autoria, razão pela qual impõe-se a absolvição do paciente”, pontuou o ministro.

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation