Cuiabá, 20 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,60
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Polícia Sexta-feira, 12 de Abril de 2024, 15:24 - A | A

12 de Abril de 2024, 15h:24 A- A+

Polícia / OPERAÇÃO PAYBACK

Polícia Civil do Tocantins desarticula quadrilha e prende especialista em furtos a caixa eletrônicos

Crimes ocorreram no ano de 2020 nas cidades de Miranorte e Pedro Afonso no ano de 2020, dos quais subtraíram mais de R$ 493,2 mil

ELISA RIBEIRO

A Polícia Civil do Tocantins deflagrou nas primeiras horas da manhã de quarta-feira 10), a operação Payback para dar cumprimento a mandados de prisão e de busca e apreensão, tendo como alvos três indivíduos investigados por arrombamento a caixas eletrônicos nas cidades de Miranorte e Pedro Afonso, no ano de 2020, dos quais subtraíram mais de R$ 493,2 mil.

Um dos alvos já foi localizado e preso. As diligências seguem no sentido de dar cumprimento a mais quatro mandados de prisão em desfavor de outros dois investigados e 12 de busca e apreensão domiciliar, nas cidades de Fortaleza e Novo Oriente, no estado do Ceará.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

A Operação é resultado das investigações realizadas pela 1ª Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado (Deic) Palmas, com o intuito de apurar a autoria de duas ocorrências de arrombamento a caixas eletrônicos de agências bancárias no Tocantins. O primeiro ocorreu no dia 18 de março de 2020, tendo como alvo a agência do Bradesco, em Miranorte; e o segundo, no dia 23 de maio do mesmo ano, na agência do Bradesco, em Pedro Afonso.

Com o avançar dos trabalhos investigativos, apurou-se que os três indivíduos, oriundos da cidade de Novo Oriente/CE, são também responsáveis por diversos furtos usando o mesmo modus operandi em vários estados do país como São Paulo, Mato Grosso, Maranhão, Pará, dentre outros.

“Os investigados são responsáveis por uma série de crimes patrimoniais ocorridos em diversos estados do país, inclusive tendo sido os autores de outra ação executada nas cidades de Feliz Natal e Nova Ubiratã, ambas do Mato Grosso, utilizando o mesmo modus operandi. Além desses, foi identificada uma série de outros delitos praticados em desfavor de instituições financeiras”, ressalta o titular da 1ª Deic Palmas, delegado Evaldo Oliveira Gomes.

Levantamento prévio

A quadrilha tem como foco agências bancárias de cidades do interior, em sua maioria do Banco Bradesco, dotadas de pouca infraestrutura de segurança. “Eles realizam levantamentos prévios sobre a rotina das agências, para identificar as vulnerabilidades de cada local e se hospedam em cidades vizinhas para não levantar suspeitas na cidade que será alvo da ação criminosa. Um dia antes dos furtos, provocam algum tipo de pane nos terminais de autoatendimento utilizando dispositivos, conseguindo então a senha de abertura dos caixas eletrônicos. Na manhã do dia seguinte, inserem a senha captada e efetuam a subtração dos valores contidos nos caixas”, explica o delegado Antonio Onofre, responsável pelas investigações.

Uma vez consumado o furto, o trio empreendia fuga, de volta a Novo Oriente, cidade de origem dos três.

Assim que os autores foram identificados, a autoridade policial representou pelos mandados de prisão e de busca e apreensão, que foram deferidos pelas Varas Criminais das Comarcas de Miranorte e Pedro Afonso.

Alvos de busca e apreensão

Ainda conforme as investigações, há suspeita de que outras pessoas tenham participação no esquema, cumprindo a função de ocultar e dissimular a origem dos valores movimentados pelo trio de criminoso, sendo que também foram alvos de mandados de busca e apreensão.

Diante das suspeitas, foi determinado o bloqueio judicial em cerca de R$ 1,8 milhão das contas bancárias dos envolvidos, além da apreensão de diversos objetos adquiridos com o produto do crime.

Prisão

Até o momento, um dos envolvidos foi preso e será recolhido à unidade prisional local, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário tocantinense.

A Operação conta com a participação de policiais civis tocantinenses das Deics de Paraíso, Gurupi e Araguaína; das Divisões Especializadas de Repressão a Narcóticos de Palmas e Araguaína; e do Grupo de Operações Táticas Especiais da Polícia Civil (Gote), bem como com o apoio da Polícia Civil do Ceará, por meio da Delegacia de Roubos e Furtos.

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation