Cuiabá, 24 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,59
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Polícia Sexta-feira, 22 de Março de 2024, 17:00 - A | A

22 de Março de 2024, 17h:00 A- A+

Polícia / OPERAÇÕES FLAK I E FLAK II

PF prende líder de grupo de envolvimento com crimes de homicídio, tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro

O nacional responde pelos crimes de homicídio, tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro

ELISA RIBEIRO
DA REDAÇÃO

A Polícia Federal deu cumprimento, na manhã desta quinta-feira (21), na cidade de Ponta Porã/MS, a dois mandados de prisão preventiva expedidos pela 4ª Vara Federal da Seção Judiciária no Tocantins e pela 4ª Vara de Crimes Dolosos Contra a Vida do Tribunal de Justiça de Goiás contra o principal membro do grupo criminoso investigado pelas Operações Flak I e Flak II, ambas, desenvolvidas pela Superintendência Regional da Polícia Federal no Tocantins.

O nacional responde pelos crimes de homicídio, tráfico internacional de drogas, associação para o tráfico internacional de drogas e lavagem de dinheiro e estava foragido da Justiça brasileira desde o ano de 2020.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo link: FTN BRASIL

A ação policial foi executada com o apoio da Força Integrada de Combate ao Crime Organizado de Goiás – FICCO/GO, da Delegacia da Polícia Federal de Ponta Porã, da Adidância da Polícia Federal no Paraguai, da Polícia Nacional do Paraguai – PNP e da Secretaria Nacional Antidroga do Paraguai - SENAD.

Durante a abordagem policial, nesta manhã, em Ponta Porã/MS, o nacional apresentou aos policiais uma identidade falsa, que vinha sendo utilizada para dificultar a sua localização pelos sistemas de Segurança Pública e Justiça Criminal.

Sendo assim, o indivíduo recebeu voz de prisão e foi conduzido à Polícia Federal em Ponta Porã/MS, onde foi instaurado inquérito policial mediante auto de prisão em flagrante, com indiciamento pelo crime de uso de documento falso.

Após os procedimentos legais, o indiciado será encaminhado ao sistema prisional, onde permanecerá à disposição do Poder Judiciário.

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation