Cuiabá, 17 de Julho de 2024
DÓLAR: R$ 5,48
FTN Brasil | Jornal de Verdade

Polícia Quinta-feira, 13 de Junho de 2024, 09:00 - A | A

13 de Junho de 2024, 09h:00 A- A+

Polícia / OPERAÇÃO DEMÉTER

PCGO prende integrantes de orcrim que comercializava adubos falsificados para produtores rurais

PC realizou o cumprimento de seis mandados de prisão preventiva e sete mandados de busca e apreensão contra membros de organização criminosa que comercializavam adubo falsificado a produtores de vários Estados, entre eles Goiás

PAULA VALÉRIA
DA REDAÇÃO

Na manhã desta quarta-feira (12), a Polícia Civil de Goiás, por intermédio da Delegacia de Silvânia, com apoio do Grupo Especial de Investigação Criminal, da 3ª Delegacia Regional de Polícia,  da Polícia Civil do Paraná e Polícia Civil de São Paulo, deflagrou a Operação Deméter, para cumprimento de seis mandados de prisão preventiva e sete mandados de busca e apreensão nos estados do Paraná e São Paulo em desfavor de membros de organização criminosa que, por meio de empresas de fachada, comercializavam adubo falsificado a produtores de vários Estados, entre eles Goiás, causando prejuízos milionários.

As investigações começaram no ano passado e apontaram que os investigados, por meio das empresas de fachada com sede nos Estados de São Paulo (SP) e Paraná (PR), comercializaram adubo MAP 11.52 falsificado, com preços bem inferiores aos valores de mercado, alegando que os fertilizantes eram trazidos do exterior a preços menores, e assim atraiam vários produtores.

Os investigadores descobriram ainda que após receberem os pagamentos, a organização criminosa autorizava o carregamento do adubo falsificado no Porto de Paranaguá/PR.

Acesse nosso canal de notícias no WhatsApp pelo linkFTN BRASIL 

Ocorre que, alguns produtores, ao realizarem o teste do produto em laboratório, descobriram que o adubo entregue não se tratava de fertilizante. Muitos produtores não realizaram os testes e acabaram utilizando o produto prejudicando a sua produção.

Por fim, durante a operação, os policiais civis descobriram que a organização criminosa constituiu outras empresas de fachada e continua aplicando o mesmo golpe em produtores rurais de vários Estados.

A operação foi realizada nas cidades de Curitiba, Fazenda Rio Grande, Colombo e Paranaguá, todas no Paraná, e nas cidades de São José do Rio Preto, Sumaré e Poá, em São Paulo.

Comente esta notícia

Esse est et proident pariatur exercitation